ECONOMIA COLABORATIVA: ENTENDA O CONCEITO E COMO ISTO PODE MUDAR SUA EMPRESA

A economia colaborativa é uma solução que, muitos acreditam, vem na contramão do capitalismo, mas pelo contrário, ele humaniza as relações e faz do capitalismo algo menos predatório, além de colaborar para a qualidade de vida e o sucesso das pessoas como um todo.

Ao entrar no conceito de colaboração, as empresas deixam de “fechar suas portas”, limitar acesso e conhecimento deixa de ser uma forma de monetizar seu produto.

Esta batalha continua sendo histórica, com as grandes empresas perdendo terreno para a liberdade de troca de conteúdo da internet e a facilidade de financiar projetos que parecem interessantes (o crowdsourcing, assunto que já abordamos aqui, é um dos maiores expoentes da economia colaborativa) fazem com que o mercado comece a se voltar mais para micro demandas especializadas do que macro demandas generalistas.

Vamos falar mais desta nova possibilidade que surge como uma opção para o mercado atual e quais as vantagens que podemos ter, tanto como clientes e como quanto empreendedoras.

Pagar pelo uso ao invés da posse

Um dos maiores diferenciais da economia colaborativa é uma diminuição na necessidade da propriedade para o uso.

Os empréstimos e aluguéis de bens duráveis são uma vantagem que já está em alguns lugares, como por exemplo, aluguel de bicicletas feitos pelo Metrô e pelo Itaú.

Por meio de um cartão de crédito é feito um seguro da bicicleta e a pessoa é tarifada pelo tempo de uso da mesma, usando inclusive, no caso do Itaú, um serviço totalmente informatizado, baseado no cartão do próprio banco.

O digital também está cada vez mais inserido no dia a dia empresarial com o surgimento do cartão digital interativo.

Existem notícias de que, em alguns países, a Toyota está alugando os carros de concessionárias (aqueles usados para test drive) como forma de monetização, já que nestes lugares, a compra de automóveis estava muito baixa.

Além disso, existem diversos aplicativos de carona coletiva, o chamado couchsurfing (alojar pessoas de uma mesma comunidade online na sua casa, enquanto elas estão em viagem) e uma interminável série de outras iniciativas que podem ser enquadradas dentro de uma economia colaborativa, embora não envolvam nenhum pagamento obrigatório.

Como isto pode ajudar a minha empresa a se desenvolver?

Para o micro empreendedor, este tipo de cenário é excelente, pois ele diminui o poder das grandes empresas multinacionais e permite que pequenas iniciativas, que tenham público que dê suporte e estão satisfeitos com o negócio, possam fazer com que sua idéia decole.

Desta forma, você pode se tornar a chamada empreendedora em série, que se ocupa apenas de estruturar e vender negócios de sucesso para pessoas interessadas em ter um negócio próprio.

Outra forma interessante de usar a economia colaborativa ao seu favor é usá-la como forma de divulgação da marca. Se em algum momento você disponibilizar um serviço diferenciado de forma mais barata ou até gratuita (contando como um investimento em mídia, neste caso), você tem grande possibilidade de acionar a mídia local e conseguir um pouco de mídia espontânea para a sua marca, além de criar um relacionamento diferenciado da sua empresa para com os clientes.

Como esta é uma tendência nova e muito pouco explorada aqui no Brasil ainda, queremos saber também das suas experiências com esta tendência. Compartilhe conosco!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *